• quarta, 24 de abril de 2024
  • Céu limpo - Atualizado: 00:15 - 24/04/2024 24°
www.feedis.com.br

Em momento desafiador, suplementação adequada garante maior eficiência na atividade leiteira

Além da melhora na saúde e desempenho animal, o reforço na dieta pode auxiliar em alterações no comportamento, facilitando o manejo dos bovinos

O leite está passando por grandes mudanças e um processo acelerado de tecnificação e consolidação. As fazendas maiores seguem crescendo, enquanto as médias e pequenas estão com maior dificuldade de expansão e muitos têm deixado a atividade. O forte aumento de custos após o início da pandemia da Covid-19 acabou agravando a situação e vem exigindo melhores práticas de gestão, investimentos em automação e muita eficiência produtiva. O estudo Projeções do Agronegócio 2022/23 a 2032/33, realizado pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA), projeta que o crescimento médio da pecuária de leite fique abaixo dos 2% ao ano.

Ainda, segundo o estudo, a concentração setorial e ganhos de eficiência serão os principais drivers de movimentação a longo prazo. Isso não implica que todos os produtores menores irão sair. “Os excluídos serão aqueles que não se adaptarem a nova realidade de adoção tecnológica, melhorias na gestão e maior eficiência técnica e econômica. Irão permanecer os produtores eficientes. Mas como existe uma diferenciação de preço por volume, haverá sim, uma pressão por aumento de escala”, explicam os autores.

A produção de leite deverá crescer nos próximos 10 anos a uma taxa entre 1,7 e 2,7%. Essas taxas correspondem a passar de uma produção de 34,1 bilhões de litros em 2023 para 40,5 bilhões no final do período das projeções. O crescimento de oferta será principalmente baseado em melhorias na gestão das fazendas e na produtividade dos animais e menos no número de vacas em lactação.

Tabela: Produção, Consumo, Importação e Exportação de Leite

Produção (mil t)Consumo (mil t)Importação (mil t)Exportação (mil t)
202334.15735.3231.295128
202434.79135.9531.297131
202535.42436.5841.298133
202636.05837.2151.300136
202736.69137.8451.301139
202837.32538.4761.303142
202937.95839.1071.305145
203038.59239.7371.306148
203139.22540.3681.308150
203239.85940.9991.309153
203340.49341.6291.311156

Fonte: Elaboração da CGPOP/DAEP/SPA/MAPA e SUEST/SMAE/Embrapa com dados do IBGE; Embrapa Gado de Leite.

* Modelos utilizados: Para produção, consumo, importação e exportação modelo PA.

Variação %
2022/23 a 2032/33
Produção (milhões de litros)18,50%
Consumo (milhões de litros)17,90%
Importação (milhões de litros)1,20%
Exportação (milhões de litros)22,10%

Fonte: MAPA

Nutrição determina desempenho final do rebanho de produção de leite a pasto

“O pecuarista leiteiro precisa estar atento a todas as fases de desenvolvimento do animal, para garantir a eficiência da propriedade e, consequentemente, o lucro. Um dos pontos de cuidado é a alimentação, que visa certificar um bom desenvolvimento e evitar possíveis prejuízo no futuro”, explica a Responsável Técnica da Minerthal, Letícia de Souza Santos.

A qualidade e consumo da pastagem é um divisor de águas entre um sistema de produção a pasto eficiente ou não. A avaliação da composição química da pastagem é o direcionador para tomada de decisão, de acordo com as frações de matéria seca (MS), proteína bruta (PB), fibra em detergente neutro (FDN) e matéria mineral (MM). As pastagens tropicais são comumente deficientes em alguns nutrientes de acordo com a época de ano, e este déficit causa danos ao desenvolvimento e produtividade na pecuária leiteira.

“Suplementar os nutrientes que o pasto não contempla e que são exigidos pelos animais é uma prática que ajuda a explorar o máximo desempenho neste sistema. Para isso, é indicado suplementar minerais, vitaminas, proteína e energia, dependendo da necessidade animal e da meta de desempenho”, alerta Letícia.

A importância da suplementação se dá por três principais ponto:

  • Mineiras, proteína, energia e vitaminas são indispensáveis para o bom desenvolvimento das funções vitais dos animais. A correta suplementação tem relação direta com a saúde dos animais, prevenindo doenças e melhorando a imunidade;
  • De acordo com a categoria animal e com a meta de desempenho, a exigência nutricional por cada nutriente é alterada. Assim, é extremamente necessário realizar a suplementação com o objetivo de otimizar os resultados;
  • Além da melhora na saúde e desempenho animal, a suplementação pode auxiliar em alterações no comportamento, facilitando o manejo.

"Para a escolha de qualquer estratégia de suplementação a ser utilizada, é necessário um bom planejamento, entendendo quais serão os benefícios, o capital investido e o tempo de retorno. Além disso, a estrutura da propriedade precisa ser adequada e os colaboradores treinados para as rotinas a serem implantadas", finaliza a Responsável Técnica.

Publicidade