• sbado, 13 de abril de 2024
  • Alguma nebulosidade - Atualizado: 12:31 - 13/04/2024 22°
www.feedis.com.br

Práticas de bem-estar animal e humano elevam a pecuária nacional a novo patamar de desenvolvimento

Com 30 anos de trabalho, a Beckhauser é pioneira e desenvolve ações junto aos parceiros visando ampliar a importância do conceito nas fazendas de todo o Brasil

Bem-estar animal e humano (BEAH) é um tema muito presente na história da Beckhauser, sendo um dos pilares do trabalho realizado por essa indústria paranaense de equipamentos contenção bovina. Em 2022, a empresa celebrou 30 anos de trabalho com esse tema, que culminou num ciclo de palestras sobre o assunto. Batizado de Conexões BEAH, o projeto contou com três encontros, sendo o primeiro com o zootecnista Fernando Siqueira de Paula, seguido do pecuarista Mauro Lúcio Costa e, por último, Mateus Paranhos da Costa, professor da Universidade Estadual Paulista (Unesp) referência em estudos sobre esse assunto no Brasil.

“Desde o início da década de 90 a Beckhauser passou a se identificar com a bandeira do bem-estar animal e foi uma das responsáveis pela difusão desses conceitos e práticas na pecuária brasileira”, explica a Presidente da empresa, Mariana Beckheuser. “Essa trajetória teve início em 1992 e, baseada em informações científicas, testadas e validadas a campo, aos poucos, a proposta do manejo racional ganhou as fazendas Brasil afora e, mais tarde e até hoje, avançou as fronteiras para outros países”.

O ciclo de debates celebrou esse marco da Beckhauser e o décimo aniversário do Centro Experimental de Manejo Racional (CEM) da empresa, espaço dedicado a pesquisas e treinamentos em prol do bem-estar animal e humano, além de contribuir para reforçar a posição de pioneirismo e destaque da indústria no debate desse tema.

A primeira palestra tratou dos impactos da adoção desse tipo de práticas de manejo na pecuária. Durante sua exposição, Fernando Siqueira de Paula explicou a definição de manejo racional e como ele deve ser tratado nas propriedades. Para o profissional, é fundamental que se entenda as reações dos animais às tarefas às quais eles são submetidos.

O segundo encontro do projeto Conexões BEAH foi ministrado pelo pecuarista Mauro Lúcio Costa, um importante agente na promoção desse tipo de pecuária. Na Fazenda Marupiara, em Paragominas (PA), ele une boas práticas de manejo dos animais a preservação do meio ambiente e gestão humanizada da atividade para fazer a diferença localmente e disseminar a pecuária sustentável para cada vez mais pessoas.

Mauro Lúcio acredita na existência de dois tipos de profissionais: aquele que segue práticas racionais, de bem-estar animal e humano, num modelo de pecuária sustentável, e aquele que não se preocupa em realizar a união entre resultados e cuidados com o meio ambiente e os bovinos, realizando uma atividade insustentável.

A última palestra deste ciclo foi conduzida por Mateus Paranhos da Costa. Ele discutiu sobre os impactos das boas práticas nas fazendas sobre os negócios dos pecuaristas. O profissional apresentou estudos e casos práticos que comprovam os benefícios do manejo racional e de boas práticas no curral em comparação ao manejo convencional, que não leva em consideração o bem-estar dos animais e dos profissionais.

O professor indica, também, que existem muitas formas de fornecer mais qualidade ao tempo de vida dos animais, sendo elas referentes à disposição dos bovinos nos currais e lotes ou até mesmo à maneira de realizar a contenção para os manejos, trabalhando com as pescoceiras adequadas, por exemplo.

Reflexos na pecuária do dia a dia

Essa fala de Paranhos permite a reflexão sobre como o bem-estar animal e humano é trabalhado nas diferentes atividades que a pecuária compreende. A Beckhauser buscou a opinião de dois de seus parceiros espalhados pelo Brasil, cada um envolvido com um tipo de especialidade na sua área de atuação, para entender como as boas práticas podem fazer a diferença no dia a dia do setor.

Segundo o proprietário da Vergalhão, Fernando Porcel, para que soluções de alta tecnologia para o campo sejam eficientes de fato, é fundamental que o bem-estar animal e humano seja adequadamente aplicado para a obtenção de resultados positivos nas fazendas brasileiras.

“Trabalhamos com a Beckhauser há mais de 27 anos, mas, antes disso, já éramos pecuaristas e sempre adotamos boas práticas em nossas propriedades. De tanto falarmos deste tema, orientando nossos clientes para adotarem técnicas adequadas de manejo, hoje podemos falar que a maior parte da região que atendemos já aplica o bem-estar animal e humano nas propriedades”, explica.

Falar de bem-estar animal e humano para a pecuária requer domínio do conceito e das consequências positivas que sua aplicação traz no dia a dia das fazendas. Por isso, Porcel aponta que os momentos de capacitação dos colaboradores de sua empresa fazem a diferença na hora de conversar com os pecuaristas.

“Nossos consultores de vendas e assistentes técnicos recebem constantemente treinamentos sobre este tema. Abordar o bem-estar em qualquer visita, entrega de equipamentos, bate papo informal em feiras ou eventos acaba sendo algo automático e, quando se fala com propriedade, dando exemplos práticos, isso passa ter uma grande credibilidade”.

Já o trabalho realizado pela Confina Agronegócios, parceira da Beckhauser em Patos de Minas (MG), foi considerado um caso de sucesso para a rede de vendas da empresa em 2022, por, pouco a pouco, conseguir inserir o conceito de bem-estar animal e humano na pecuária mineira, apresentando aos clientes e parceiros os benefícios. “O manejo adequado, conforme a ciência já comprova, auxilia nas melhorias dos índices financeiros e zootécnicos das fazendas, além de proporcionar a abertura de novos mercados para a carne e o leite produzidos no estado”, afirma a Diretora de Gestão da organização, Ivana Araújo.

“Nós possuímos por missão oferecer ao amigo pecuarista as melhores soluções para a agropecuária de precisão, valorizando o bem-estar animal e humano, a sustentabilidade e a prosperidade dos negócios que surge como consequência desses fatores. Portanto, nosso DNA está alinhado com uma cultura de serviço e respeito à vida”, reforça.

Damásio Nascimento, médico-veterinário e proprietário da empresa Tecnutre, parceiro da Beckhauser que comercializa equipamentos de contenção bovina e presta assessoria de abate para seus clientes da região de Imperatriz (MA), indica que a aplicação do conceito de bem-estar animal e humano nas fazendas e no processo de abate traz melhores resultados para a atividade pecuária.

“Trabalhamos com assessoria de abate em bovinos e com a comercialização de equipamentos de contenção. O bem-estar animal e humano está totalmente inserido no contexto do nosso dia a dia. Esse tipo de prática melhora a rentabilidade do produtor rural”.

Nascimento afirma, ainda, que os treinamentos dentro das fazendas são a chave para evoluir cada vez mais o setor da pecuária. “Realizar ações indicando os benefícios do bem-estar e humano para o gado, para os profissionais e para o negócio como um todo é algo essencial para atingirmos melhores resultados com a atividade. A Beckhauser tem o nome fortemente relacionado com esse conceito, e a parceria com a Tecnutre com certeza ajuda a levarmos o que há de melhor no mercado para a região de Imperatriz”, finaliza.

Fonte: AI

Publicidade